VOCÊ FOI VÍTIMA DE UM CRIME CIBERNÉTICO E NÃO SABE QUEM FOI O AUTOR.?

Como proceder caso você seja vítima de crime cometido na internet.

Coletando de maneira correta as provas do crime no ambiente cibernético.

Neste momento de cometimento de um delito na internet é importante observar algumas regras para que seja possível alcançar o real autor do crime cibernético. Primeira coisa a ser feita é copiar a URL do (endereço) site onde foi cometido o crime.

Por exemplo: Xingamento no Facebook. O URL seria o https://www.faceboook (...).
 


Com essa cópia é possível identificar o IP de quem cometeu o delito.

Quando o crime ocorre em aplicativos de mensagem, por exemplo o WhatsApp basta salvar corretamente o número que realizou a empreitada criminosa.
 


Mesmo que seja apagada a página do Facebook é possível através da URL chegar até o IP do criminoso (IP seria como uma espécie de identidade virtual).

Caso seja levado apenas “print screens” da tela do crime, estou agindo corretamente?

Não está agindo correto, porque um e-mail com fotos pornográficas da vítima que vaza na rede. Se a vítima gerou um print do e-mail destruiu todos os dados do header (cabeçalho) que poderiam identificar o autor.

A verdade é que um especialista em forense deve ser consultado pois cada padrão de arquivo na web (Internet) tem uma metodologia correta de salvamento. Para páginas html, recomenda-se salvar a página inteira com registro notarial eletrônico. Ao contrário do que informam delegacias, o print screen é prova frágil e pode facilmente ser contestada pelo criminoso digital em juízo. Na dúvida, não feche a janela da ofensa e leve o equipamento até um especialista. Uma via impressa é importante, mas só a impressa não tem validade

Compareça a uma delegacia especializada em crimes cibernéticos.

Por fim, muito ainda tem que se falado nessa questão vale dizer ainda que é importante a vítima realizar o Registro de ocorrência em delegacias especializadas que possui capacitação técnica para identificar o autor dos crimes. Segue abaixo a listagem das delegacias especializadas da região sudeste do Brasil.


 

ESPÍRITO SANTO – Delegacia de Repressão a Crimes Eletrônicos

Endereço: Avenida Nossa Senhora da Penha, 2290, CEP: 29045-402, Santa Luiza (funciona do edifício-sede da Chefia de Polícia Civil, ao lado do DETRAN), Vitória/ES

Telefone: (27) 3137-2607 / 3137-9078

MINAS GERAIS - DEICC - Delegacia Especializada de Investigações de Crimes Cibernéticos

Endereço: Av. Francisco Sales, 780, Bairro Floresta, esquina de Av. dos Andradas (altura do nº 1270) - Belo Horizonte / MG CEP: 30.150-220

Telefones: (31) 3217-9714 / (31) 3217-9712 / (31) 3217-9714

E-mail: crimesciberneticos@pc.mg.gov.br


 

SÃO PAULO – 4ª Delegacia de Delitos Cometidos por Meios Eletrônicos (DIG/DEIC)

Endereço: Avenida Zack Narchi, 152, Carandiru, São Paulo/SP

Telefone: (11) 2224-0300

OBS: Atende apenas demandas relacionadas a fraudes financeiras por meios eletrônicos. Em casos de outros crimes por meios digitais, o cidadão deve se dirigir a uma delegacia comum.


 

RIO DE JANERO - Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI)

Endereço: Rua Professor Clementino Fraga, nº 77 (2º andar), Cidade Nova (prédio da 6ª DP), Rio de Janeiro/RJ (CEP: 20230-250)

Telefones> (0xx21) 2332-8192, (0xx21) 2332-8188 e (0xx21) 2332-8191

Endereço: Av. Dom Hélder Câmara, 2066 Jacarezinho, CEP 21.050-452, Rio de Janeiro – RJ

Telefone: (21) 2202-0636

E-mail drci@pcivil.rj.gov.br


 

Tecnologia do Google TradutorTradutor